Ponta Porã reabrirá fronteira para trabalhadores e turistas brasileiros - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 25 de outubro de 2020


Ponta Porã reabrirá fronteira para trabalhadores e turistas brasileiros

Paraguaios fizeram um protesto pedindo a volta dos turistas brasileiros, responsáveis por 90% faturamento nas fronteiras

Publicado em: 23/09/2020 às 07h17

Flávio Veras

O governo paraguaio vai anunciou na terça-feira que irá reabrir a fronteira para acesso de brasileiros a partir do dia 29 deste mês na cidades Salto del Guairá, perto de Mundo Novo (MS), e Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS). A medida já havia sido tomada na Ponte da Amizade, que fica entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu (PR).

A medida foi anunciada pela Direção Geral de Migrações.Porém, a medida em si, esbarra no fato de que, os presidentes; Mario Abdo Benítez, do Paraguaí, e Jair Bolsonaro, do Brasil; ainda não assinaram o acordo firmado semana passada.

N manhã de hoje houve um protesto que reuniu, aproximadamente, três mil moradores de Pedro Juan Caballero. Eles saíram às ruas para cobrar a reabertura da fronteira aos turistas brasileiros, responsáveis por 90% do faturamento das lojas.

No início da tarde, o governo paraguaio anunciou as regras para reabertura da Ponte da Amizade, mas faltava comunicado oficial sobre Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero. Conforme o documento da Direção Geral de Migrações, nessas duas cidades as regras serão iguais às adotadas entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu.

A abertura será adotada por três semanas, como “plano piloto”. Turistas brasileiros poderão entrar naquele país das 5h às 14h e terão até às 18h para retornar ao Brasil. Não será exigido exame negativo para covid-19, mas o uso de máscara, o distanciamento e uso de álcool em gel são medidas obrigatórias.

Taxistas e mototaxistas também poderão entrar no Paraguai. Entretanto, os brasileiros só poderão circular nos departamentos de Canindeyú, onde fica Salto del Guairá, e Amambay, cuja capital é Pedro Juan Caballero. Trabalhadores também terão acesso livre.