EUA contabilizam número devastador de 200 mil mortos pelo vírus nCoV-19 - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 25 de outubro de 2020


EUA contabilizam número devastador de 200 mil mortos pelo vírus nCoV-19

Boletim Covid: EUA contabilizam número devastador de 200 mil mortos e russos retornam sem o vírus

Publicado em: 24/09/2020 às 07h43

Edvaldo Bitencourt

Até esta quarta-feira, 201.669 pessoas entram para a estatística como mortos por covid-19 nos Estados Unidos. No mundo, já são 973.004 pessoas que perderam a batalha para a doença ou seja morreram devido a Covid-19.

Esse número, que é uma marca devastadora, ainda será acrescido de outras 150 mil pessoas mortas nos próximos três meses no país, conforme o Instituto de Avaliação e Métricas de Saúde da Universidade de Washington. As projeções consideram o inverno e o gradativo aumento de casos em 22 estados nesta semana.

 

Detergente é aprovado por agência norte-americana para matar o coronavírus

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos aprovou o Pinho Sol como eficiente para matar o Sars-Covd-2, o coronavírus causador da covid-19. O produto pode ser usado em superfícies duras e porosas. O Pinho Sol, segundo a agência, mata o novo coronavirus em 10 minutos após a aplicação. A agência ainda destaca que, lavar as mãos com sabão e usar uma máscara facial ainda são as melhores maneiras de evitar a contaminação.

Walmart testa forma inovadora de coletar testes de covid-19 e utiliza drones

O serviço está em teste na cidade de Las Vegas e funciona apenas para quem mora nas imediações de um dos supermercados da rede. A ideia é evitar o contato entre coletor e doente e, dessa forma, reduzir o contágio pelo novo coronavírus. É um programa piloto, que entrega o kit para o usuário, que o devolve e espera o resultado, depois, pelo e-mail ou mensagem pelo celular. A rede estuda como driblar imprevistos, como linhas de energia, árvore, vento e chuva.

Russos que viajaram ao exterior devem ficar isolados até receber teste negativo

A nova resolução entra em vigor na quinta-feira. A medida é encarada como uma forma de isolar as contaminações pelo novo coronavírus. Diante do rigor do inverno russo, o governo tenta evitar a pressão ao sistema de saúde e prepara uma ofensiva contra a covid-19 enquanto uma vacina não é produzida em massa.

Temos o boletim covid-19 porque - Em dezembro de 2019, as autoridades de chinesas de informaram a OMS (Organização mundial de Saúde) sobre o surto de uma nova doença, que foi nomeada posteriormente de covid-19. Em 11 de março, a OMS anunciou que as infecções atingiam proporções epidêmicas. Os dados sobre casos e mortes são fornecidos pela Universidade Johns Hopkins, mas podem não representar a totalidade por conta da subnotificação registrada em muitos países, como o Brasil, que mudou a sistemática de divulgação dos indicadores relativos à covid-19.