Eleições municipais terão Palhaço Goiabinha, Filho do Padre, Chico do Frango e outros - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 25 de outubro de 2020


Eleições municipais terão Palhaço Goiabinha, Filho do Padre, Chico do Frango e outros

Candidatos a vereador apostam em apelidos, inusitados para muitos, para ganhar a preferência do eleitor

Publicado em: 01/10/2020 às 06h41

Naiane Mesquita

Não é de hoje que os candidatos a algum cargo político investem em nomes peculiares para sobressair em meio à multidão. Em Campo Grande (MS), por exemplo, há 729 candidatos ao cargo de vereador que usam apelidos em que são conhecidos na vizinhança, ou mesmo sobrenomes conhecidos em todo o País, para conseguir se destacar.

Nestas eleições, temos muitos candidatos que preferiram o inusitado – pelo menos para a maioria – ao registrarem suas candidaturas.

É o caso de Alfredo Lagartixa (Cidadania), Acumulou (Solidariedade), Barba do Rancho (MDB), Chico do Frango (Cidadania), Palhaço Goiabinha (PV), Bala de Prata (DEM), Fernando Metamorfose (Rede), Betinho da Ducha (PSC), Canela (Podemos), Diva e amigos do bem (PSD) e Tchê Tchê Tchê (PV).

Eles apostam nestes nomes para serem lembrados pelo eleitor durante a campanha e na urna eletrônica.

A lista de nomes inusitados é tão extensa que aparece até mesmo o Filho do Padre. Líder comunitário, presidente do Bairro Santa Luzia e músico, Elzio Moreira da Silva recebeu esse apelido ainda na infância, por questões familiares, e até hoje é lembrado dessa forma na cidade.

“Eu sou conhecido desde criança assim. Antes eu achava ruim, mas depois eu me acostumei com isso”, explica. Essa é a sexta vez que Elzio se candidata à vaga de vereador na Câmara. “Já tentei como deputado duas vezes. Sempre fui bem votado”, garante.

PROFISSÕES

Com tantos nomes diferentes na campanha eleitoral, é difícil distinguir o que é profissão de apelido. O Palhaço Goiabinha, por exemplo, é um dos que levam a sério a ocupação. Além do nome, ele decidiu aderir ao pacote completo e usar a vestimenta de artista na divulgação da campanha.

No santinho, Moacir Costa Filho usa a roupa vermelha de lantejoula e a peruca colorida para ser reconhecido pelos fãs. Na lista de prioridades, a cultura, claro, aparece em primeiro lugar.

A profissão, inclusive, parece ser a principal forma de divulgação dos candidatos a vereador. Na lista de concorrentes, Campo Grande tem muitos médicos, pastores, missionários e professores dispostos a ocupar o cargo na Câmara Municipal.

Entre os recordistas estão os enfermeiros, com oito representantes da profissão na disputa, seguido dos cabos, com cinco candidatos na briga.

Mas isso não quer dizer que não há espaço para profissões menos populares, como é o caso dos DJs, que vêm com três representantes: a DJ Larissa Marca (PSDB), a DJ Léa (Podemos) e o DJ Toninho (PDT).

INTERIOR de MS

Em Dourados, os nomes diferentes também fazem parte da campanha eleitoral, com direito a inspirações bem inusitadas, como o Chuchu (Patriota) e o Cidão do Alho (MDB). A lista na cidade continua com o Coca da Construção (Solidariedade), Everson Tatu (MDB), Ferrinho da Pedra (PSD) e Jefferson Jacarezinho (Cidadania). 

Por fim, mais uma vez a profissão acaba sendo uma forma de os candidatos serem lembrados durante a campanha eleitoral em Corumbá, distante 428 km de Campo Grande, onde a bióloga Aline Pantaneira (Republicanos), por exemplo, está como candidata.

Já em Coxim, localizada a 258 km da Capital, o destaque vai para Karol com K (DEM), Ademir Sorriso (DEM), Carlinhos Gás (Solidariedade) e Ceará da Feira (Solidariedade).