'Eu não sou comentarista de relatório, sou ministro', diz Marcelo Queiroga (da Saúde) - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, quinta-feira, 9 de dezembro de 2021


'Eu não sou comentarista de relatório, sou ministro', diz Marcelo Queiroga (da Saúde)

“Eu não sou comentarista de relatório. Eu sou ministro da Saúde. E como ministro da Saúde, eu cuido da saúde pública do Brasil” de MARCELO QUEIROGA - falando sobre seu possível indiciamento feito pelo relatório da CPI da Covid.

Publicado em: 21/10/2021 às 05h38

GIBA UM

Supremo Tribunal Federal (STF) e Câmara dos Deputados que voltarão ao trabalho presencial exigiram dos servidores comprovante de vacina contra covid-19 ou pelo menos apresentação de teste PCR negativo.

Fator Dilma

Na semana passada, na Rádio Grande FM de Dourados, o ex-presidente Lula foi pressionado pelo repórter que queria saber “qual o legado dos governos Lula e Dilma”.

Ele tentou escapar, mas a única coisa que disse foi que “é muito difícil falar de outra pessoa”. É um bom exemplo do desafio que Luís Inácio Lula terá de enfrentar na campanha de 2022.

O desafio se chama Dilma Rousseff. Ao disputar o Senado Federal em 2018, dois anos depois do impeachment, provou que é uma companhia tóxica.

Complica a aproximação com políticos do Centrão que apoiaram seu afastamento e com o meio empresarial. Durante seu mandato manteve uma política econômica que contribuiu para que a recessão da qual o país não se recuperou.

Mais ousadia

Cantora, compositora, instrumentista, apresentadora e atriz Priscila Alcântara acaba de ganhar mais um título para atribuir ao seu currículo. É a primeira campeã do The Masked Singer Brasil, fantasiada como unicórnio.

Aos 9 anos ela ganhou outro reality Código Fama que apresentado por Celso Portiolli, mas poucas pessoas sabem disso. Ela ganhou notoriedade ao apresentar o Bom Dia & Cia, no SBT. Após passagem pela música gospel Priscila lança seu próximo CD sexta-feira (22) Você Aprendeu A Amar?, onde promete mais ousadia.

“O público pode esperar uma Priscilla muito ousada. Eu carrego muitas coisas boas. Sempre me considerei uma pessoa muito corajosa, mas eu acho que saio ainda mais. Essa experiência me fez lembrar porque eu faço o que eu faço. Que eu não sou só uma marca, só um nome. Eu sou alguém que quer servir as pessoas com a voz e a arte. E eu pude fazer isso”.

Escassez de combustível

A Petrobras anda tão empenhada em gerar lucros para acionistas que não parou de investir, como tomou uma decisão que provocará escassez de combustíveis no Brasil, de acordo com avaliação de economistas e da Associação das distribuidoras.

A escassez da gasolina determinará aumento dos preços finais ao consumidor, com reflexos no emprego, inflação, qualidade de vida e paz social.

A decisão da Petrobras é de cancelar 50% dos pedidos de compra dos combustíveis e a falta do produto será motivo para novos aumentos.

Bolsonaro + 66 indiciados

No relatório final da CPI da Covid, 67 nomes aparecem na lista para indiciamento.

Além dos nomes esperados como do presidente Jair Bolsonaro, do ex-ministro Eduardo Pazuello, do atual ministro da Saúde Marcelo Queiroga, também estão na lista o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni; o ministro da Defesa, Braga Netto, o ex-ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o senador Flávio Bolsonaro, os deputados federais Eduardo Bolsonaro, Bia Kicis, Carla Zambelli e Osmar Terra, o vereador Carlos Bolsonaro, o ex-secretário da Secretaria Especial de Comunicação, Fábio Wajngarten e o ex-assessor da presidência, Arthur Weintraub, entre outros.

Plano B

Sem reforma do IR e dividendos, que travou no Senado, Paulo Guedes aposta tudo na PEC dos Precatórios para viabilizar o Auxílio Brasil.

O senador Ângelo Coronel avisou que não vai apresentar tão cedo o texto da reforma do IR e dividendos. O texto era a aposta de Paulo Guedes para compensar os gastos do Auxílio Brasil. Sem ele, o titular da Economia tenta mexer na PEC dos Precatórios.

Arthur Lira já sinalizou que vai tratorar a aprovação da PEC na Câmara, mas o Senado pode virar a última trincheira de populismo fiscal de Bolsonaro.

DESERÇÕES no governo

Dois secretários próximos de Paulo Guedes fizeram menção de deixar o governo. O motivo são convites do setor privado. Guedes pediu a ambos que permaneçam pelo menos até a aprovação das reformas.

Os assessores vão ficar, ou seja, Guedes e sua equipe acreditam mesmo que as reformas passarão. Já foram oito os colaboradores do ministro da Economia que deixaram o governo.

Quem vai sair

Paulo Guedes permanece agarrado à poltrona do Ministério da Economia por mais que seja humilhado e até ridicularizado. Seus assessores pensam no futuro: esta semana, Bruno Funchal, secretário da Fazenda, num evento da JP Morgan, disse que o novo valor do Bolsa Família “é uma decisão política, do Congresso, do Planalto e do presidente”.

Há duas semanas, ele disse que não assinaria nenhum papel que estourasse o teto do gasto. Agora, tem que decidir se cumpre a promessa ou se dobra à política de Guedes. Muitos apostam que ele vai sair.

AINDA PIOR

Lula apoia o descalabro fiscal de Bolsonaro e promete fazer ainda pior. No Twitter, ele escreveu: “Tô vendo o Bolsonaro dizer ainda que vai dar R$ 400 de auxílio. Tem gente dizendo que é auxílio eleitoral, que não podemos aceitar. Não penso assim. O PT defende um auxílio de R$ 600 desde o ano passado. O povo precisa. Ele tem que dar. Se vai tirar proveito disso, problema dele”.

Fim da ação - O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) pediu ao STF a rejeição da ação que cobra a definição de um prazo para análise dos pedidos de impeachment contra o presidente da República.

A ação em discussão foi apresentada pelo PDT com objetivo de obrigar Lira a pautar ao menos um dos mais de 130 pedidos de impeachment contra Bolsonaro. Arthur Lira diz que o processo é político e uma atribuição exclusiva do Legislativo.

Crise hídrica - A Paraná Pesquisa fez um levantamento para saber qual a verdadeira situação da crise hídrica brasileira. Primeiro, quis saber dos brasileiros se, nos últimos 30 dias, o entrevistado ficou sem água em sua residência; 71,3% responderam que não e apenas 28,7% responderam que sim.

Depois, quis saber quais as medidas o entrevistado estava tomando para economizar água. 47% dos entrevistados disseram que diminuíram o tempo do banho; 32,9% que está reutilizando a água da máquina de lavar; 26% que está deixando acumular mais quantidade de roupa para lavagem e 10,9% não estão fazendo nada.

Ainda foram citados diminuição da quantidade de água dispensada na descarga (4,6%); não lavam quintal ou calçada (2,9%); fecham a torneira enquanto está escovando os dentes ou lavando a louça (2%) entre outros.

VIDA E MORTE

A série coreana Round 6 tem um jogo proposto que se transformou no maior fenômeno de audiência da Netflix da temporada onde 456 homens e mulheres desesperados, pobres e endividados topam participar de um jogo de vida ou morte para ganhar um mega prêmio em dinheiro.

Na Coreia do Sul 95% dos residentes têm pelo menos o equivalente ao segundo grau completo. No Brasil, num jogo semelhante, as filas de inscrições dobrariam esquinas.

Mistura fina

NUMA avaliação que é compartilhada por dirigentes do Centrão, Luiza Trajano seria uma vice de Rodrigo Pacheco ideal para uma dobradinha. Mas, ela nem foi consultada: quer permanecer distante da vida política. A alternativa de outro nome para vice poderia ser o de Eduardo Leite, governador gaúcho que desafia o governador paulista João Doria pela indicação no PSDB.

HÁ dias, o ex-ministro Pazuello foi festejado no palanque do governador Antônio Denarium em Roraima. E já pensa em entrar na política, concorrendo a algum cargo (ele prefere o Senado). Mais: os mais chegados aconselham que concorrer ao governo do Amazonas é quase “um suicídio”.

O GENERAL Eduardo Pazuello, assessor especial da Secretaria de Assuntos Estratégicos, se dedica nesse momento a uma única missão: trabalhar no relatório paralelo da CPI da Covid que o governo pretende apresentar para contradizer o parecer da Comissão.

IRMÃO do ex-deputado Roberto Jefferson, Ricardo Monteiro Francisco vai assumir a tesouraria do PTB. Atual secretário das Cidades do Amazonas, ele substituirá Luis Rondon, afastado do cargo depois de Jefferson acusá-lo de fraudar e vazar documentos sobre os gastos do partido.

ASSESSORES de Bolsonaro estão levantando a “contabilidade” de Davi Alcolumbre (AP), leia-se emendas parlamentares e pedidos de recursos do Orçamento feitos pelo senador ainda pendentes. A ordem é reter a grana ao máximo. É vendeta pura em mais um capítulo da novela de sabatinar o candidato ao STF,  “André Mendonça”.

NO começo, da semana Arthur Lira subiu em palanque ao lado do ministro Tarcísio de Freitas para anunciar investimento de R$ 75 milhões para recuperação da BR-416, que corta Alagoas. O apoio de Arthur Lira à reeleição de Bolsonaro não é de graça: o presidente da Câmara mira o Senado Federal por Alagoas em 2022.

AINDA o relatório da CPI: o relator Renan Calheiros resolveu tirar seis nomes que estavam na lista de indiciados, entre eles o pastor Silas Malafaia e o coronel Marcelo Bento Pires, que trabalhou por três meses no Ministério da Saúde e foi acusado pelo servidor Luis Ricardo Miranda de ter pressionado para agilizar a importação da vacina indiana Covaxin, cujo contrato depois foi cancelado.