Terça-feira, 20 de outubro de 2020

Viagem de avião só em caso de necessidade, alertam especialistas, na pandemia

Apesar da diminuição drástica do movimento em aeroportos, desde a chegada da covid-19, no Brasil, há quem precise encarar terminais e voos, mesmo se expondo ao risco de contrair o novo coronavírus. Especialistas alertam: pegar o avião, só em caso de necessidade

Publicado em: 08/08/2020 às 16h47


Decidir viajar durante uma pandemia requer coragem. Por vezes, o sentimento está atrelado ao medo e insegurança. Muitos dos que decidem se arriscar neste momento, o fazem por uma boa causa: cuidar de quem está distante e matar a saudade. Quando a mãe da estudante Millena Campello, 20 anos, recebeu o diagnóstico de covid-19, em maio, e precisou ser internada, o coração da jovem apertou de vontade de estar em Recife (PE). “Infelizmente, tive que ficar em Brasília. Eu tinha medo de pegar a doença no aeroporto e preocupar ainda mais a minha família”, revela. Quando a mãe se recuperou, foi a vez de Millena receber a notícia de que estava com a doença. “Depois de ter o teste negativo para o vírus, ela me pediu para ir visitá-la”, lembra.

Ao embarcar, Millena viu-se surpresa ao perceber o avião com todos os assentos ocupados. “Eu esperava um voo vazio, mas a aeronave era pequena. Não tinha nenhuma cadeira vaga”, ressalta. A fila para o embarque chamou a atenção. “As pessoas não respeitavam o distanciamento. Inclusive, na hora de descer do avião, os funcionários da companhia pediam para o desembarque ser em filas, mas ninguém respeitava, e os corredores ficaram lotados”, denuncia a jovem.

Amanda Corcino, 24, sofreu com a falta de conscientização de outros passageiros em uma viagem que fez. “A pessoa que estava ao meu lado não queria usar máscara, e o comissário teve que ficar pedindo para ele colocar o tempo inteiro, mas era só o funcionário sair que o rapaz tirava a proteção”, reclama a analista de marketing. Apesar disso, o voo para visitar a família no Rio de Janeiro valeu a pena. “Meu avô paterno faleceu em maio, durante a pandemia. Infelizmente, não consegui ir ao enterro dele, mas, como ele havia sido cremado, houve uma cerimônia para jogar as cinzas no mar”, conta Amanda.

Especialistas reforçam a importância contínua do uso de máscara e álcool em gel durante todo o percurso da viagem. “O grande problema talvez nem seja dentro do avião, mas, sim, o deslocamento. A partir do momento que a pessoa não tem controle do ambiente e está em um local onde há muitas outras ao redor, fica-se mais exposta”, alerta a infectologista do Hospital Águas Claras, Ana Helena Germoglio. “Talvez, a pessoa só devesse viajar em caso de extrema necessidade e não ficar arrumando motivos ou desculpas. A recomendação é ficar em casa”, insiste a médica.

Cuidados - Orientações para fazer uma viagem segura


ANTES DE VOAR

O check-in pode ser feito no site ou aplicativo de celular da respectiva companhia aérea. Caso precise ser presencial, é necessário respeitar o distanciamento de 2 metros das outras pessoas enquanto aguarda na fila. Adesivos no chão sinalizam onde esperar.

No momento do embarque, passageiros devem formar fila apenas quando o grupo ao qual pertence (indicado no bilhete) for chamado, mantendo distância segura dos demais.

É permitida entrada com álcool em gel de até 500ml. As companhias aéreas disponibilizam recipientes de álcool em gel dentro das aeronaves. O álcool líquido é proibido.

DURANTE o VOO

O uso de máscara é obrigatório ao longo de todo voo, lembrando que ela deve cobrir completamente nariz e boca.

Serviço de bordo: água é servida sob demanda e, dependendo da companhia, os lanches podem ser entregues ao final da viagem. Em trajetos mais longos, podem ser oferecidas comida em embalagem individual, fechada e previamente higienizada.

Assim como o avião, banheiros são higienizados a cada fim de viagem, mas é importante que, antes e depois do uso, o passageiro limpe as mãos com água e sabão ou álcool em gel.

DEPOIS DO VOO

O desembarque é feito por fileiras, e não há necessidade de o passageiro ficar em pé. Deve-se aguardar sentado até que o comissário o chame.

Para a retirada das bagagens, os usuários devem respeitar o distanciamento social. O indicado é que após a remoção da esteira o objeto seja higienizado.